Como retornar à vida amorosa depois do nascimento do bebê?

A experiência de ter o primeiro filho é indescritível para todo pai e mãe. Para a maioria, a chegada do bebê une ainda mais o casal e celebra, de fato, a união. Mas o nascimento do filho muda, e muito, a rotina do casal. As noites passam a ser mal dormidas, os passeios, as viagens e os jantares são cada vez mais raros e os momentos de prazer a dois quase que desaparecem nos primeiros meses. Para que marido e mulher, antes dois pombinhos apaixonados e agora marinheiros de primeira viagem não se afastem dessa fase são necessários muita conversa, amor, carinho e compreensão das duas partes.
- Só assim o fogo da paixão continuará aceso, já que o bebê passa a exigir parte da energia do casal – afirma o ginecologista e obstetra Henrique Alberto Pasqualette, diretor do Centro de Estudos e Pesquisas da Mulher.
O médico diz que para o casal retomar a sua vida sexual depois da chegada do bebê são necessários alguns ajustes. O primeiro passo, segundo ele, é respeitar o “jejum sexual” de 45 dias depois do parto, para o corpo da mulher volte às suas funções normais:
- É importante que os maridos aprendam esses pequenos segredos, para que a volta ao prazer seja plena.
Pasqualette explica que, nesse período de jejum, o útero se recupera da ferida que ficou em sua parede depois do parto e da saída da placenta:
- O endométrio (espécie de “tapete” que reveste o útero) descama e os vasos sanguíneos, que nutriam a placenta na gravidez, vão se recompondo. Tudo isso acontece durante o processo de contração uterina, que é estimulada pela amamentação.
O ginecologista avisa que se o casal insistir em ter sexo nessa fase a experiência não pode ser agradável.
- A mulher sentirá muita dor na vagina, no caso de parto normal, em função do corte que é feito para facilitar a saída da criança, ou dores no ventre, no caso de uma cesariana. Além disso, o organismo feminino corre o risco de ser contaminado por microorganismos.
Mas, passada essa quarentena, o casal já pode voltar a ter relações sexuais, sem medo de causar problemas à saúde da mulher.

Carinho e amor superam as dificuldades iniciais

A presença do pai é importante para aproveitar, com a mãe, os poucos momentos de folga.
O ginecologista Henrique Alberto Pasqualette explica que alguns casais enfrentam dificuldades para retomar a vida sexual que podem ser resolvidas no dia-a-dia, também através do diálogo, do carinho e da compreenção. Uma delas é a diminuição do desejo sexual da mulher. De acordo com pasqualette, inumeros fatores levam a isso, mas o principal é que ela canaliza sua libido para outras coisas, como os cuidados com o bebê. Ele passa a ser o centro de suas atenções e o marido e o sexo ficam em segundo plano:
- Esse tipo de comportamento geralmente acontece quando a mulher não divide com o marido os cuidados com o filho.
Mas se o pai acompanha a rotina que um bebê impõe, acaba sendo cúmplice da mulher e estará próximo a ela quando o neném dormir.
- Nessa hora, mesmo que o casal não faça sexo, poderá desfrutar a intimidade de um beijo, um carinho, ou simplesmente velar o sono do bebê de mãos dadas. Essa pausa a dois certamente os levará, num futuro próximo, a momentos de amor – ensina o médico.

Problemas e Soluções

AUTO-ESTIMA: De acordo com o ginecologista , é comum a mulher ficar insegura em relação ao seu corpo depois da gravidez, quando não se sente atraente. Como consequência, evita o sexo. Primeiro é necessário conscientizar-se de que precisa fazer uma dieta equilibrada, para não comprometer a amamentação, e ter uma atividade física suave, como hidroginástica. Ficar longe do espelho e optar pelo namoro à meia-luz ajudam a evitar constrangimentos nessa fase.

DOR: Um dos motivos que fazem a mulher evitar o sexo depois do parto é a dor que sente durante a relação, devido a falta de lubrificação vaginal. Isso acontece porque o hormônio do
aleitamento (prolactina) inibe a produção de outro hormônio, o estrogênio (fabricado pelos ovários), responsável pela lubrificação. O ginecologista sugere o uso de lubrificante vaginal.

MEDO: Em geral, o medo de ter uma relação depois de um longo período sem sexo provoca uma dor aguda na vagina, devido a contração da musculatura vaginal. O remédio aqui é ter calma e tranquilidade. A mulher não deve ser pressionada a fazer sexo com o marido, que, por sua vez, precisa ter compreenção e paciência. Um lubrificante anestésico ajuda bastante.

NOVA GRAVIDEZ: Muitas mulheres não sabem como evitar uma gravidez fora de hora, durante o aleitamento e simplesmente se negam a fazer sexo com seus maridos. A solução nesse caso é uma conversa com o médico, que lhe informará as formas de contracepção nessa fase, como a pirula anti-concepcional só com progesterona, específica para a mulher que amamenta. Outra saída é usar a camisinha.